Instituto Cândida Vargas recebe projeto de oficina sobre o trabalho de assistentes sociais

Em uma parceria com a Universidade Federal da Paraíba (UFPB), o Instituto Cândida Vargas (ICV) realizou, na tarde desta terça-feira (7), uma oficina sobre ‘Rede intersetorial e o trabalho de assistentes sociais: articulando SUS e SUAS’. A atividade aconteceu no auditório da maternidade e reuniu professores, assistentes sociais e profissionais da unidade de saúde.  

A oficina teve como objetivo evidenciar a importância da intersetorialidade como mecanismo de gestão para contemplar a totalidade dos indivíduos. Nesse sentido, foram apresentados serviços e formas de encaminhamentos (referência e contrarreferência) da rede de saúde e assistência social.  

Liane Guerra, coordenadora do serviço social do ICV, destacou a importância da atividade na instituição. “A escolha do tema foi bem oportuna, porque nós, assistentes sociais, trabalhamos em rede intersetorial, uma vez que o objetivo é viabilizar o acesso de nossas usuárias, em situação de vulnerabilidade social, aos serviços e benefícios garantidos por lei e oferecidos pelo município e outras esferas de poder”, afirmou.  

Segundo a diretora multiprofissional do ICV, Ana Giovana, o momento foi importante, pois houve uma troca de saberes e o fortalecimento da intersetorialidade. “Esse momento é muito importante no campo da assistência social, considerando a diversidade de mulheres que atendemos aqui, seja nível social, econômico, psicológico. Então, é muito importante fortalecer os nossos profissionais para que as pacientes venham ser atendidas ainda mais de forma plena”, disse.  

Para o universitário Ítalo Torres, o estágio supervisionado é a prática pedagógica que une o teórico e o prático na vida acadêmica. “Nesse sentido, ter o campo de estágio como o Instituto Cândida Vargas foi primordial para minha formação, tendo em vista que é um campo dinâmico, complexo e que tem suas potencialidades. As assistentes sociais do ICV me ensinaram muito a ter um olhar humanizado sobre as pacientes, além de serem resolutivas quando os casos sociais emergem na instituição”, enfatizou.  

Projeto – A oficina faz parte de um projeto realizado pelo aluno Ítalo de Paula, do curso de serviço social da Universidade Federal da Paraíba. Participaram da roda de conversa Nívia Pereira, assistente social e professora doutora da UFPB; Jailma Batista, assistente social e especialista em Saúde Materno-infantil (UFRN); e Jéssica Juliana, assistente social e especialista em gestão de políticas públicas e mestra em Serviço Social pela UFPB.  

“O projeto de intervenção é fruto de uma experiência de estágio, sendo fundamental para a formação dos discentes, mas também para toda a equipe profissional das atividades realizadas pelo projeto. Isso só fortalece entre o campo de estágio e a universidade”, disse a professora Nívia Pereira.  

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *